Al. Dr. Sebastião Fleuri, nº 51, St Marista, Goiânia - GO

(62) 98331-9777 Celular e WhatsApp

Serviços
Neuropsicologia Goiânia
Laudos para concursos

As avaliações neuropsicológicas também são exigidas em alguns concursos públicos ou privados, exames de admissão e vestibulares. Nesses casos é aplicada uma bateria de testes associada à entrevista e observação clínica e após essa etapa é elaborado um laudo de acordo com as exigências do concurso, que poderá então ser apresentado à comissão organizadora. 



Dislexia

Dislexia: Todos falam, mas nem todos lêem.

Grande parte das crianças deseja aprender a ler, e muitas vezes esse processo acontece de forma natural. Para as crianças disléxicas, a experiência é muito diferente: o aprendizado da leitura que ocorre sem grande esforço para a maioria das crianças, é algo que está além do seu alcance. Essas crianças são capazes de entender as palavras transmitidas oralmente, mas não conseguem decifrar as mesmas palavras quando escritas no papel, gerando sentimentos de decepção e frustração.

A incapacidade de ler fluentemente deixa sua marca nas crianças, adolescentes e futuros adultos disléxicos.

O principal sinal é a falta de fluência na leitura, pois necessitam concentra-se inteiramente na decodificação das palavras em vez de pensar na compreensão, deixando assim a leitura lenta e silabada.  De fato, é impossível ignorar a importância da leitura para o crescimento intelectual da criança e o quanto uma boa leitura influência na formação de vocabulário adequado.

A maior parte dos pais e dos professores atrasa a avaliação de uma criança com dislexia porque acreditam que a dificuldade na leitura é um problemas temporários e será superado, o que não é verdade. Os problemas de leitura não são superados sem diagnóstico e tratamento adequado.

Quando as crianças ficam para trás no domínio da capacidade de leitura, serão necessárias intervenções intensas para leva-las de volta a níveis adequados, devido ao grande volume de prática de leitura que se perde a cada mês e a cada ano em que continuam a ler com dificuldade.  

Devido ao exposto acima, o ideal é que se faça uma avaliação neuropsicológica assim que os primeiros sinais sejam detectados. Caso confirmado o diagnóstico, poderá ser iniciado um tratamento multidisciplinar para superar as dificuldades, com bom prognóstico de melhora.



TDAH / Dificuldades escolares

 

TDAH / Dificuldades Escolares

 

 

A Avaliação Neuropsicológica auxilia no diagnóstico de TDAH, Dificuldades Escolares e Distúrbios de Aprendizagem através da aplicação de uma bateria de testes e questionários padronizados, aliados a uma entrevista psicológica, onde poderemos detectar alterações no sistema cognitivo que possam estar comprometendo a aprendizagem ou resultando em um déficit de atenção e hiperatividade.

 

A aprendizagem é uma alteração comportamental resultante da prática ou experiência e dependente da conjunção de aspectos ambientais e individuais. No começo do processo de alfabetização, a criança pode apresentar dificuldades no desenvolvimento da escrita, da leitura e também na realização de cálculos.

 

Costumamos dividir os transtornos de aprendizagem em dois tipos: a) Dificuldades Escolares (DE) que dizem respeito a problemas de ordem pedagógica e b) Distúrbios de Aprendizagem (DA) que se relacionam a disfunções no Sistema Nervoso Central (SNC), e se caracterizam por déficit no processo de aquisição e/ou desenvolvimento de capacidades escolares.

 

Quando fazemos o diagnóstico dos DA devemos excluir questões de cunho sensorial, motor, mental, cultural e outras causas.

 

Além dos problemas de Déficit de Aprendizagem, crianças com TDAH - Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade frequentemente também apresentam problemas no aprendizado, já que os sintomas como falta de atenção e perturbações no comportamento dificultam o processo de aprendizagem e o rendimento escolar .

 

Vários fatores de risco contribuem  para as DA: questões genéticas, alterações do SNC, doenças crônicas, baixo peso do neonato, distúrbios motores e sensoriais, desnutrição, problemas no relacionamento familiar, uso de medicamentos, questões psicossociais, psiquiátricas, pedagógicas entre outras. 



Parkinson / Alzheimer

Alzheimer / Parkinson

 

 

No diagnóstico de Alzheimer e Parkinson, a avaliação neuropsicológica é capaz de mapear, através de testes padronizados, todos os campos cognitivos relevantes e oferecer um relatório com as áreas de comprometimento significativo, por exemplo, memória, linguagem e atenção.

 

 

 

Doença de Alzheimer

 

A Doença de Alzheimer também chamada de DA, é uma doença neurodegenerativa, que começa gradualmente e tem seu desenvolvimento progressivo, afetando o funcionamento cerebral, causando prejuízos de memória, dificuldades com a linguagem, dificuldades na realização de atividades que exigem coordenação motora, na percepção e nas funções de caráter executivo.

 

A DA atinge hoje em torno de 3% da população mundial com idade acima de 65 anos, embora essa proporção aumente com a idade, atingindo mais de 20% nos indivíduos acima de 85 anos. O desenvolvimento da doença é progressivo e podemos dividi-lo em fases, não há limites bem definidos entre as mesmas e a evolução é particular de cada paciente.

 

 No início da Doença de Alzheimer, os sintomas principais são: desorientação temporal / espacial, déficit de memória recente, dificuldades de comunicação por não encontrar ou se lembrar de palavras adequadas, alterações na personalidade e no comportamento tradicional do paciente, dificuldades em tarefas relacionadas aos cuidados pessoais e distúrbios do sono. Estes sinais no início da doença são, geralmente, vistos como naturais devido ao processo de envelhecimento, o que pode atrasar o diagnóstico e o início do tratamento.

 

 
Com o tempo, ocorre o agravamento dos sintomas iniciais, bem como prejuízos na marcha, perda de apetite, lentificação dos movimentos, incontinência urinária, agitação mental, déficits de capacidade sensorial, delírios ou alucinações, diminuição do peso e desorientação temporal / espacial, levando o paciente a depender de cuidados especiais. Este cenário pode chegar a ser incapacitante, fazendo com que o paciente fique restrito ao seu leito o que acarreta o surgimento de feridas, infecções das vias respiratórias e do trato urinário.

 

 

 

Doença de Parkinson

 

A Doença de Parkinson é uma patologia crônica que degenera o sistema neurológico, afetando principalmente o sistema motor do indivíduo. Os sintomas mais comuns são: tremores, acinesia, rigidez muscular, e alterações na postura, mas manifestações não motoras também podem se desenvolver, tais como: degradação da memória, problemas no sono, depressão e transtornos do sistema nervoso autônomo. Apesar de ocorrer também em indivíduos mais jovens, sabemos que 1% da população com mais de 65 anos é atingida pela doença. 

 


A Doença de Parkinson ocorre pela diminuição de dopamina no Sistema Nervoso. As células que se encontram na área chamada de substância negra do cérebro, são as responsáveis pela produção de dopamina; no entanto na Doença de Parkinson essas células apresentam degeneração, o que altera a produção dessa substância.



Testes de QI

 

Testes de QI

 

A habilidade cognitiva está ligada à genética e também questões culturais, que em geral são aprimoradas ao longo da vida ou herdadas dos pais e antepassados. Especialistas vêm ao longo dos anos, desenvolvendo métodos para podermos mensurar a inteligência do ser humano.

 

Mas como medir algo tão subjetivo? Um dos principais instrumentos para essa tarefa é o teste de QI.

 

Na avaliação QI analisamos as habilidades mentais e comportamentais que, juntas determinam a capacidade intelectual do indivíduo.

 

Os testes de QI podem ser ferramentas auxiliares nas predições acerca do desempenho profissional, acadêmico e social de uma pessoa, já que analisa diversas habilidades necessárias nos vários aspectos da vida do ser humano.

 

 

O que é o teste de QI?

 

Os inventores dos testes de QI foram os psicólogos franceses Alfred Biner e Théodore Simon que desenvolveram em 1905 uma técnica para identificar alunos que precisariam de atenção especial no decorrer da aprendizagem escolar.

 

Os alunos eram separados por idade e respondiam aos testes. Aqueles que ficavam abaixo da média geral, eram acompanhados com mais atenção pelos professores. Aqueles que atingiam notas superiores eram considerados destaques. Esses testes foram sendo aprimorados ao longo dos anos até chegarmos nos modelos atuais, que apresentam alto padrão científico.

 

É importante salientar que os testes de QI encontrados na internet, são em geral bastante rudimentares, focados somente no raciocínio lógico e que por não comtemplarem as diversas áreas de habilidade cerebral não podem ser usados para nada além de passatempo ou com fins de recreação.

 

Para uma analise abrangente de todas as habilidades do indivíduo, os testes de QI só devem ser aplicados por psicólogos, utilizando-se testes validados pelo Conselho de Psicologia e levando em consideração o perfil pessoal e as suas necessidades individuais.

 

Em geral os testes de QI avaliam diversas funções cerebrais, como atenção, linguagem, cálculo, facilidade em aprender, memória, abstração, percepção e capacidade de resolver problemas.

 

 

O que significa QI?

 

QI significa Quociente Intelectual, ou seja, é um valor numérico resultante de uma bateria de testes utilizados para analisar a capacidade intelectual geral de um indivíduo, ou seja, sua inteligência.

 

A inteligência é formada por um conjunto de habilidades intelectuais e emocionais que nos permite agir de forma eficaz levando-nos a atingir bons resultados nos vários aspectos da vida individual ou em sociedade.

 

 

Como se calcula o QI?

 

O QI, ou quociente de inteligência, é encontrado aplicando-se a seguinte fórmula: divide-se a idade mental da pessoa por sua idade cronológica e depois multiplica-se por 100. A idade mental é determinada através dos testes aplicados.

 

A escala padrão mais aceita pela comunidade científica é a seguinte:

A média geralmente está compreendida entre 85 e 114.

Resultados abaixo de 85 indicam Dificuldade Leve à Moderada, ou seja, o indivíduo pode apresentar algum tipo de comprometimento cognitivo.

Valores maiores que 114 indicam intelecto superior até alta Habilidade

Indivíduos que alcançam números maiores que 130 podem ser considerados com inteligência muito alta ou superdotação.

 

 

Usos do teste de QI

 

Esse instrumento é muito utilizado para se obter um indicador da inteligência para diversas finalidades. Podemos por exemplo usar o teste de QI para identificar uma criança com déficit de atenção ou que apresente um processo de aprendizagem superior aos demais.

 

Outro uso comum dos testes de QI é para se diagnosticar problemas de comportamento ou conduta da pessoa, ou ainda como ferramenta auxiliar no processo de decisão em uma seleção de candidatos para determinado cargo.

 

De grande ajuda na identificação de transtornos ou na tomada de decisões, o teste de QI não deve ser utilizado como uma ferramenta única no diagnóstico. Nesses casos, é preciso que a análise do indivíduo seja ampla, contemplando as técnicas mais adequadas da área da psicologia.

 

O teste de QI pode ser aplicado de forma isolada, quando o que se deseja é apenas determinar o quociente de inteligência do indivíduo. Quando o interesse é uma análise mais profunda das funções cognitivas e intelectuais da pessoa, o ideal é que seja aplicada uma Avaliação Neuropsicológica completa, onde o teste de QI será apenas um dos quesitos avaliados.



O QUE É ?

O QUE É AVALIAÇÃO NEUROPSICOLÓGICA?

 

A Avaliação Neuropsicológica consiste em uma investigação minuciosa das funções cerebrais, utilizando-se para isso procedimentos padronizados, testes, escalas, questionários, bateria de testes, além da entrevista inicial. 

 

Analisa-se detalhadamente a relação entre o comportamento do indivíduo e o funcionamento de seu cérebro, a fim de auxiliar no diagnóstico, na compreensão da extensão das perdas funcionais e estabelecer tipos de intervenção adequada.

 

É indicada para a avaliação de pessoas que apresentem alguma alteração no funcionamento cerebral, associada às diversas patologias que afetam o sistema nervoso central. 



QUAIS AS INDICAÇÕES ?

 

QUAIS AS INDICAÇÕES DA AVALIAÇÃO NEUROPSICOLÓGICA?

 

 

 

Indicações em crianças e adolescentes:

 

 

- TDAH – Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade

- Dificuldades escolares

- Alterações comportamentais

- Déficits cognitivos globais (Retardo Mental)

- Sequelas do uso de álcool e drogas na gestação ou no próprio indivíduo

- Alterações do desenvolvimento

 

 

 

 

 

 

Indicações em adultos e idosos:

 

- Alzheimer

- Parkinson

- Esclerose múltipla ou outras doenças neurodegenerativas

- AVC

- Declínio cognitivo

 

 

Indicações em todas as idades:

- Teste de QI

- Diagnóstico diferencial de depressão

- Epilepsia

- Esquizofrenia

- Histórico de abuso de substâncias

- Déficits cognitivos secundários a outros transtornos

- Antes e após cirurgias